4 dicas de como separar despesas pessoais das contas da empresaTer uma empresa é sinônimo de lidar com investimentos, cuidar da manutenção de equipamentos, estoque e ainda tomar cuidado para as contas não excederem. Para um microempresário, o cuidado com as contas pode ser bem mais complicado se não souber como separar despesas pessoais das contas da empresa, gerando problemas muitos sérios em seu caixa.

Por isso, neste texto, vamos falar como é possível dividir essas contas e como essa atitude pode melhorar a organização financeira da empresa. Confira!

Por que separar as despesas?

Se você é o administrador, sócio ou diretor de uma empresa, sabe que não é incomum, em um primeiro momento, que suas despesas e as de seu negócio acabem se tornando uma só. A verdade é que existe uma comodidade nisso, afinal, é apenas uma conta e o que a empresa lucra tecnicamente é seu também.

Contudo, manter esse comportamento é um grande problema para o negócio. À medida que o tempo passa e as despesas aumentam, tanto as suas quanto as da empresa, os rendimentos podem não ser suficientes para quitar tudo.

De repente, pode faltar para lidar com gastos cruciais, como a manutenção de equipamentos, pagamento de salários dos funcionários, entre outras questões. Além disso, não separar as contas prejudica até a contabilidade da empresa.

Essa conduta viola o princípio contábil da entidade, no qual é dever da administração separar as receitas e gastos das pessoas físicas e jurídicas. O não cumprimento pode gerar uma advertência do Conselho Regional de Contabilidade.

Como separar despesas pessoais das contas da empresa?

1. Analise as finanças da empresa

Aqui, é importante ter uma boa perspectiva do que a sua empresa gera de renda. É hora de fazer um monitoramento, anotar todos os lançamentos e saber para quais despesas esse dinheiro vai. Procure anotar suas contas pessoais também. Para ajudar nesse processo, utilize programas com tabelas e faça duas seções: uma para a conta pessoal e outra para as da empresa.

2. Defina o pró-labore

O pró-labore é uma espécie de salário para os administradores/sócios da empresa. Trata-se de uma quantia fundamental para equilibrar os rendimentos da empresa. Ao separar uma parte do montante, fica mais difícil confundir as despesas e gastar uma parcela que poderia ser usada para investimentos, por exemplo.

Para ajudar a ter uma média da quantia, você pode procurar o salário de profissionais que executam a mesma função dos sócios. Também pode pesquisar o quanto é necessário para que esses integrantes se mantenham e determinar a partir daí.

Lembrando que o pró-labore não pode ser menos que o valor do salário-mínimo de sua empresa e que ele não é a mesma coisa que lucro.

3. Separe as contas

No começo do negócio, não ter uma conta exclusiva só para a empresa não é incomum. De maneira geral, o administrador lidará com suas despesas e as da empresa como se fossem uma só. Mas conforme a empresa ganha espaço no mercado e aumenta os seus rendimentos, é hora de separar as contas.

Essa conduta será muito benéfica para a administração das finanças, facilitando a identificação dos lançamentos, dos pagamentos e dos gastos, além de auxiliar na entrega das informações para o Fisco, fornecendo os dados necessários para a declaração de imposto de renda, por exemplo.

4. Tenha reservas

Mesmo que o seu negócio já esteja estabilizado, ele não estará imune a imprevistos. A reserva é uma forma de se precaver perante as mudanças e momentos em que o lucro não está tão alto, uma maneira de evitar que os investimentos e o capital de giro, por exemplo, sejam prejudicados. Por isso, procure definir todo mês uma parcela para esse objetivo.

De fato, separar as contas é uma das melhores maneiras de começar a trazer bons resultados para as finanças, proporcionando organização e transparência para os processos financeiros do negócio. Assim, a empresa pode buscar investimentos e ampliar os seus horizontes com segurança.

Agora que você entendeu como separar despesas pessoais das contas da empresa, quer ampliar ainda mais seus conhecimentos? Então, acesse o nosso texto sobre como diferenciar custos e despesas em seu negócio!